GESTAÇÃO

Em situações de mudança, nós podemos reagir com um certo medo e/ou ansiedade. Este fenômeno é este natural e positivo, pois indica que devemos nos mobilizar para descondicionar os nossos mecanismos referentes à situação anterior para nos adaptarmos a nova situação.

Assim, devemos penetrar nas novas situações, atentos às nossas sensações, pela vivência prática e também pela aquisição ou confirmação de informações e conteúdos referentes ao novo momento. Desta forma o medo e a ansiedade funcionam como termômetro para agirmos rumo à harmonia na nova situação e não como impedimento e retração à vivência, nos mantendo presos à situação anterior, privando-nos da cíclica evolução através do novo.

A gestação já é em si um evento repleto de transformações. Além das modificações físicas internas e externas, como a grande produção de hormônios, o reajuste dos órgãos, o aumento do ventre, dos seios e do peso corporal, o ser individualizado passa esse período “acompanhado”. O medo e a ansiedade, se retidos, originam tensão, que origina dor, que por sua vez intensifica a sensação do medo e ansiedade, e assim por diante. Isto altera a respiração da pessoa e desregula a utilização da sua energia, afetando a sua “companhia” – o bebê em formação – além de causar um esgotamento, comprometendo um parto tranquilo, podendo causar uma cesariana desnecessária ou um parto muito sofrido.

É importante que os envolvidos na gestação, todas pessoas que convivem com a futura mamãe, se informem sobre o processo fisiológico, desde a concepção até o parto, evitando sustos e fantasias por desinformação. A gestante em especial, deve ter oportunidade de expor  suas sensações, dificuldades, receios, fantasias, enfim, o seu mundo interno e assim viver intensamente e evoluir na sua condição humano-geradora, ao invés de se fechar nos seus sentimentos e ficar ouvindo “dicas” de fontes diversas e contraditórias que só aumentam a instabilidade nervosa.

O tempo médio da gestação é de 10 luas ou 40 semanas, e o aumento de peso a partir do 3o mês é em média de 250g a 500g por semana.

                                          MASSAGEM

 

A massagem é um ato intuitivo, é um gesto de despertar, acariciar, proteger ou aliviar um incômodo. A sensibilidade permite o aprofundamento destes gestos, estabelecendo uma linguagem tátil, onde a percepção do corpo do massageado e a expressão do toque estejam sintonizadas com os limites produtivos desta linguagem.

Na gravidez, o processo terapêutico da massagem deve ser direcionado a este evento, não se aprofundando, por ora, em outras questões, que devem ser observadas para serem trabalhadas num outro momento oportuno.

No geral a expressão do toque deve ser suave, os movimentos rápidos que se façam necessários devem ser cautelosamente definidos, considerando-se o local, nunca próximo ao ventre – e a dinâmica, crescente partindo do lento. Não fazer movimentos repentinos. Deve-se explorar a expressão de carinho (principalmente na parte anterior do tronco), segurança e fluidez.

São usados os recursos:
- Massagem oriental nos meridianos e pontos de estímulo (Tui na e shiatsu)
- Liberação miofascial
- Relaxamento muscular
- Alongamento
- Trabalho ativo de tônus muscular
- Respiração
- Polarização

E também os óleos e cremes:
Os óleos são de uso externo, preferencialmente vegetais, usados para o massageamento do corpo e também são empregados como complemento terapêutico, através dos seus princípios ativos. Veremos algumas opções para a gestante.

Amêndoa doce

Emoliente,suavizante, tonificante

Bétula

Estimulante circulação periférica, tonificante, relaxante muscular

Calêndula

Adstringente, bactericida, calmante, refrescante

Camomila

Calmante, refrescante, suavizante

Jasmim

Antiséptico, antiespasmódica, parturiente, sedadivo

Lavanda

Analgésico, estimulante da circulação periférica, relaxante muscular

Rosas

Adstringente, calmante,hidratante, refrescante

Também são recomendados os cremes de massagem de algas marinhas, gérmen de trigo e centelha asiática com efeitos de revitalização e renovação da pele.

                                        ATENDIMENTO

 

O atendimento profissional de massagem no percurso da gestação propicia a conscientização das transformações corporais temporárias e a harmonização psicossomática neste período organicamente tumultuado.

É natural o estresse e a ansiedade da gestante, pois os hormônios estão alterados e há um desconforto no corpo e nas emoções. A massagem na gestante pode ser segura, confortável e aliviar o estresse psicológico e corporal e prepara a mulher para o evento do parto.    

                                                 CURSOS

Os cursos de massagem são para os pais, estudantes e profissionais da área de saúde e educação.Têm o objetivo de dar suporte técnico e de sensibilidade para compartilhar com a gestante este evento iluminado do nascer de uma nova vida.
             

(Consulte nossa agenda)